Sinais de Stress nos Idosos ?! Como minimizar?

audaz-ajuda-stress

Quais são os sinais precoces de stress nos idosos?

Por vezes o stress passa despercebido simplesmente porque tendemos a estar habituados a
esta forma de estar. É uma condição familiar, e em muitas ocasiões parece inevitável.

Mas quando podemos ver o stress como um processo evolutivo e compreender que o stress
não tem de estar sob controlo, podemos tomar medidas e ajudar os idosos a fazê-lo também.

Quando também nos familiarizarmos com um estado de relaxamento e presença a cada
momento, os momentos de stress tornar-se-ão mais percetíveis e será necessária uma atenção
proactiva para o problema.

Os cuidadores, poderão observar as formas de estar de um idoso de dia para dia e anotar
quaisquer mudanças. Ao tomar nota do seu bem-estar e comportamentos gerais é importante
prestar particular atenção a fatores específicos.

Estes são alguns exemplos a que se deve estar atento:

  • Mudanças nos hábitos alimentares
  • Mudanças de humor
  • Maior irritabilidade
  • Ansiedade
  • Tristeza
  • Indiferença
  • Euforia ou excesso de atividade incomum
  • Dificuldades com a memória a curto prazo
  • Dificuldades de concentração
  • Padrões pouco usuais de julgamento
  • Retirada e isolamento
  • Menos atenção à higiene pessoal e autocuidado
  • Dores de cabeça de tensão
  • Mais dores do que o habitual e dores no corpo em geral
  • Doença frequente
  • Ganho ou perda de peso
  • Dificuldades em dormir
  • Baixa energia
  • Fadiga

Como se pode ajudar a minimizar o stress para os idosos?

Tal como com outras experiências emocionais poderosas, o stress pode por vezes parecer
tomar o lugar principal e estar no controlo de tudo.

Ajudar o idoso a afastar-se e olhar para a experiência de stress como algo que vai passar em
vez de ficar preso no seu interior, pode ajudar o stress a ser ultrapassado e dominado.

O primeiro passo é aceitar e reconhecer que o stress é uma parte natural da vida.

Depois é conhecer os fatores de stress e como são esses sinais de stress para o idoso, porque o
que é stressante para uma pessoa não é necessariamente stressante para outra.

Saber como são os sinais de stress e onde eles ocorrem no corpo pode ser extremamente útil.
Pode ser uma tensão nas costas ou pescoço ou uma perturbação no estômago.

Sentir os músculos do rosto tenso ou os dentes a apertar, são outros exemplos. Reconhecer
a sensação e onde ela se encontra no corpo permite trabalhar essa mesma sensação no
sentido de a desanuviar.

Outro componente importante é identificar o que causou o stress. Reconhecer os estímulos e
as respostas emocionais, comportamentais e físicas que o idoso tem ao stress é crucial.

Só então se poderá tomar medidas e fazer alterações para mitigar o stress. Haverá sempre
alguma forma de stress nas nossas vidas, mas o objetivo é mantê-lo controlável.

Finalmente, quando se trata da prevenção, pode ser diferente para todos os idosos. Para
alguns, pode significar dormir mais, fazer exercício físico regular ou tomar vitaminas, enquanto
outros podem beneficiar da reflexão, atenção e aceitação.

Não importa como ou o que se opte por fazer para mitigar o stress, a prevenção diária é
fundamental. Identificar as fontes de stress pode ser incrivelmente útil, uma vez que
transforma esta experiência, de outro modo esmagadora, numa relação de causa e efeito mais
tangível.

Orientar os idosos para verem que a tomada de medidas em torno das suas causas de stress
pode ser um método direto de dissolução do próprio stress.

Uma maior consciencialização e a utilização de técnicas de relaxamento podem na realidade
tornar-se partes significativas das capacidades de um idoso para alívio do stress e melhor
qualidade de vida em geral.

A criação de rotinas diárias para praticar o relaxamento em conjunto com familiares ou
cuidadores é uma ótima forma de reiniciar o processo do stress e de como lidar com ele.

Isto pode envolver uma rotina suave de yoga que se pode fazer a partir de uma cadeira, uma
meditação guiada para atrair o foco para o momento presente, ou um diário para ajudar o
idoso a partilhar as suas experiências e sentimentos.

Dar passeios na natureza também pode ser um alívio do stress e ajudar a chamar a atenção
para a positividade à volta.

Quedas?

audaz-ajuda-quedas

Quedas?

À medida que as pessoas envelhecem, perdem normalmente equilíbrio, força, mobilidade e
flexibilidade, o que aumenta o risco de quedas.

As mudanças físicas graduais do envelhecimento contribuem para um maior risco de queda
para os mais velhos.

Depois de um idoso cair uma vez, a probabilidade de cair novamente duplica, o que significa
que há mais de 50% de probabilidade de uma segunda queda.

Esta situação é preocupante porque as quedas são uma das principais causas de perda de
independência e capacidade para os idosos.

É por isso que é importante que as pessoas mais velhas façam regularmente exercícios que se
concentrem na melhoria destas áreas funcionais. O mais importante é que o idoso não caia
nem se magoe enquanto se exercita.

O mais importante é que o idoso possa fazer exercícios que ajudam a sua saúde, mas de uma
forma segura e o mais confortável possível.

Nos idosos, as quedas causam tipicamente fraturas na anca e lesões na cabeça. São também a
principal causa de morte por lesão, muitas vezes por traumatismo craniano.

Mesmo que uma lesão não seja fatal, as quedas têm graves consequências a longo prazo para
os idosos porque os seus corpos normalmente não são capazes de recuperar totalmente.

Incentivar o exercício seguro e regular para construir força, equilíbrio e flexibilidade, fazer
check-ups regulares com o médico e oftalmologista para detetar problemas precocemente,
são outras medidas importantes.

Além disso, utilizar corretamente andarilhos e bengalas devidamente equipados, usar sapatos e chinelos confortáveis de apoio e
devidamente equipados com sola antiderrapante, é fundamental.

Por tudo isto é muito importante que os idosos façam exercício regularmente para reduzir o
risco de queda. Os exercícios simples em casa aumentam o equilíbrio e a força para os
movimentos que o idoso necessita para as atividades diárias.

Estas atividades físicas podem ser facilmente realizadas em casa utilizando objetos domésticos
como mesas e cadeiras para apoio ou apenas o corpo.

Deve-se também garantir que a pessoa idosa é suficientemente estável e forte para lidar com
os exercícios antes de iniciar esta rotina regularmente.

O objetivo principal é providenciar a segurança necessária para que o idoso se possa exercitar à
vontade e alcance o bem-estar que necessita.

Juntos Valorizamos a Vida!

 

Arritmia cardíaca

audaz-ajuda-arritmia

Arritmia cardíaca

Uma grande parte das pessoas experimenta uma palpitação cardíaca ou uma mudança no seu
batimento cardíaco em algum momento das suas vidas.

Todos os batimentos cardíacos irregulares resultam de algum tipo de anomalia elétrica no
sistema cardiovascular, e é necessária uma avaliação por um cardiologista para interpretar a
causa da irregularidade.

Em Portugal, em média, cerca de 10 mil pessoas sofrem de morte súbita cardíaca anualmente,
muitas vezes provocada por arritmia.

Esta situação ocorre com mais frequência nas faixas etárias mais velhas, no entanto também
pode afetar jovens que tenham uma doença cardíaca que não foi diagnosticada e não
apresenta sintomas.

O que é a arritmia cardíaca?

Arritmia benigna

Estas alterações dos batimentos cardíacos podem desaparecer espontaneamente, podendo
ser facilmente controlado com medicamentos receitados pelo médico e com a prática de
atividades físicas regulares.

No entanto, deve haver consultas periódicas com o cardiologista para que sejam realizados
exames cardíacos periódicos para verificar a atividade do coração.

Arritmia maligna

As alterações não desaparecem espontaneamente e pioram com o esforço ou prática de
exercícios físicos, podendo levar à morte caso não seja tratada de forma rápida e adequada.

Quais as causas?

As causas que contribuem para o desenvolvimento de arritmias são muito variadas e podem
ser iguais aos sintomas de outras doenças.

Algumas das causas que podem desencadear arritmias são:

  • Anemia
  • Ansiedade
  • Stress
  • Medo
  • Medicamentos para emagrecer
  • Exercícios físicos
  • Febre
  • Baixos níveis de oxigênio no sangue
  • Doença das válvulas cardíacas
  • Hipertiroidismo
  • Fatores genéticos
  • Consumo de álcool em excesso afeta os impulsos elétricos do coração
  • Doença cardíaca congénita

Qual é o tratamento?

O tratamento da arritmia vai sempre depender da causa que a originou, mas o objetivo
principal é controlar ou eliminar os batimentos cardíacos irregulares, quer sejam lentos ou
rápidos ou um misto. Assim, o tratamento vai depender do diagnóstico estabelecido pelo
médico.

Os tipos de tratamento usados são:

Choque elétrico, cardioversão elétrica ou desfibrilação

Tem como função reorganizar o ritmo cardíaco em alguns tipos de arritmias mais urgentes.

Medicamentos

Os medicamentos são indicados pelo cardiologista para controle dos sintomas e regularização
dos batimentos cardíacos.

Implantação de pacemaker

É um aparelho constituído por uma bateria de longa duração que tem como função assumir o
comando do coração conforme a programação determinada pelo médico. Ajuda a controlar os
ritmos cardíacos anormais.

O pequeno dispositivo é colocado debaixo da pele, perto da clavícula, num procedimento
cirúrgico simples. Um fio isolado estende-se desde o dispositivo até ao coração, onde está
permanentemente ancorado.

Se o pacemaker detetar um ritmo cardíaco anormal, emite impulsos elétricos que estimulam o
coração a bater a um ritmo normal.

Cardioversor-desfibrilhador implantável (CDI)

Este dispositivo é recomendado quando o batimento cardíaco é perigosamente rápido ou
irregular na metade inferior do coração.

É colocado debaixo da pele no peito com o objetivo de detetar e terminar ritmos cardíacos
irregulares graves, que tenham origem nos ventrículos do coração, como é o caso da arritmia.

É frequentemente implantado para prevenção de morte súbita cardíaca.

Um CDI é uma unidade alimentada por bateria que é implantada sob a pele perto da zona da
clavícula. Um ou mais fios com ponta de elétrodo do CDI passam através das veias até ao
coração.

Este aparelho faz a monitorização contínua do ritmo cardíaco e se detetar um ritmo cardíaco
anormal, envia choques de baixa ou alta energia para repor o coração a um ritmo normal.

O dispositivo não impede a ocorrência de um ritmo cardíaco anormal, mas trata-o caso ocorra.

Cirurgia

Em alguns casos, a cirurgia pode ser o tratamento recomendado para as arritmias cardíacas.
Existem vários tipos de cirurgia que podem ser aplicados:

Procedimento de labirinto

O cirurgião faz uma série de incisões cirúrgicas no tecido do coração na metade superior do
coração para criar um padrão ou labirinto de tecido cicatrizado. Como este tecido não conduz
eletricidade, interfere com os impulsos elétricos irregulares que provocam alguns tipos de
arritmia.

Cirurgia de bypass coronário

Este procedimento cirúrgico tem como objetivo melhorar o fluxo de sangue para o coração.

Cirurgia de cauterização ou ablação

É feita uma queimadura bastante localizada e precisa, que irá impedir ou dificultar novas crises
de arritmia. O procedimento dura algumas horas, podendo ser necessário anestesia geral.

Em qualquer destes tratamentos as indicações do médico devem ser seguidas à risca, para
evitar complicações ou efeitos nefastos.

Qual a prevenção da arritmia cardíaca?

A principal estratégia para prevenir a ocorrência de arritmias cardíacas é a redução do stress
e adotar um conjunto de práticas que possam atenuar os fatores de risco, como por
exemplo:

  • Não fumar
  • Adotar uma alimentação equilibrada e pobre em gorduras
  • Praticar exercícios regularmente
  • Aplicar técnicas de controle do estresse como ioga, tai chi ou meditação
  • Garantir que a pressão arterial e o nível de colesterol estejam sob controle

Um coração saudável é essencial para viver uma vida longa e feliz, fazendo tudo o que é do
agrado pessoal e passando o tempo com a família e amigos.

É importante falar com o médico caso se manifestem estes sintomas, mesmo que pareçam
insignificantes, porque as doenças e outras condições não tratadas podem evoluir para
problemas de saúde mais graves e, muitas vezes, intratáveis ou mesmo fatais.

Na AudazAjuda, existe uma gama completa de produtos e serviços  que dão uma ajuda
importante no apoio e no conforto a quem sofre de arritmias ou problemas cardíacos,
disponibilizando cuidados de saúde ao domicilio e produtos de apoio para comprar ou alugar.

Os nossos profissionais de saúde e mobilidade encontram as melhores soluções para cada caso
específico. Temos também disponível uma linha de apoio de enfermagem 24h/dia 365 dias do
ano.

Lombalgia

audaz-ajuda-lombalgia

Lombalgia: Dores na região lombar do lado esquerdo ou direito

Sente dores nas costas, na região lombar do lado esquerdo ou direito? Tem dor nos rins ou
dores na coluna que vai irradiando para as pernas? Descubra neste artigo se são sintomas da
lombalgia!

Saiba o que fazer para aliviar a dor na coluna lombar e como tratar da maneira mais adequada.

lombalgia é a principal causa de dor em Portugal e, quando crónica, tem um forte impacto
na qualidade de vida das pessoas. A dor na região lombar pode ter várias causas, que
abordaremos mais adiante, das quais se destacam a fibromialgia, a artite reumatoide, a
espondilite anquilosante, a hérnia discal, entre outras.

Os indicadores disponíveis apontam para que 150 mil portugueses possam sofrer de lombalgia,
sendo que é mais frequente nas mulheres, principalmente após os 40 anos, mas muito mais
prevalente a partir dos 60.

Cerca de 90% das crises de lombalgia resolvem-se em 6 semanas no máximo, apesar de 60%
das pessoas poderem apresentar um novo episódio de dor lombar durante os 2 anos
seguintes.

Pode encontrar na nossa loja online, todo o tipo de produtos de apoio ao tratamento da
lombalgia. Os profissionais da Mais Que Cuidar encontram-se sempre disponíveis para
esclarecer e aconselhar o melhor produto para cada situação e utente.

Em algumas situações em que existem limitações da mobilidade, pode ser necessário o uso
temporário de muletas (canadianas), andarilho ou cadeira de rodas. Neste caso pode fazer
sentido a compra ou aluguer de produtos de apoio na loja AudazAjuda.

 

Tensão arterial: o que é?

audaz-ajuda-tensao arterial

Pressão Arterial (PA) é a força com que o sangue circula pelo interior das artérias no corpo.
Hipertensão Arterial (HTA) ocorre quando esta pressão se encontra elevada de forma
crónica.

A PA tem duas medidas:

Sistólica

Aparece em primeiro lugar e mede a força com que o coração se contrai e “expulsa” o sangue
do seu interior.

Diastólica

É o segundo valor e diz respeito à medição da pressão quando o coração relaxa entre cada
batimento.

Valores ideais e de risco da pressão arterial

Tensão arterial baixa

Não há um número específico que defina a pressão sanguínea baixa. Desta forma, pode ser
considerada hipotensão todos os valores de tensão arterial baixa que causem algum tipo de
sintoma, podendo estes surgir quando a pressão arterial é inferior a 90/60mmHg.

Tensão arterial média

Diz-se que uma pessoa tem valores de PA normais quando apresenta ambos os valores abaixo
de 130/85mmHg.

Pré-hipertensão

Quando os valores registados se encontram entre 130-139mmHg de PA sistólica e/ou 85-
89mmHg de PA diastólica, diz-se que os mesmos são normais-altos e, portanto, essa pessoa
apresenta um maior risco de vir a ter HTA.

O conceito de pré-hipertensão funciona como um aviso para quem não leva uma vida
saudável, entenda-se, caso seja fumador, tenha excesso de peso, pratique uma alimentação
desequilibrada, entre outros.

Tensão arterial alta (hipertensão)

Considera-se que uma pessoa é hipertensa quando apresenta, em pelo menos duas ocasiões
diferentes, um dos valores de PA (sistólica ou diastólica) ou ambos, iguais ou superiores a
140/90mmHg, determinados por um profissional treinado e utilizando um aparelho calibrado e
validado.

A HTA define-se por graus, de acordo com os valores de PA encontrados, sendo que os graus
são importantes para definir a gravidade da doença e orientar a sua abordagem.

Medir tensão arterial

A medição da Pressão Arterial (PA) em casa é um complemento importante à medição da PA
no consultório médico, sendo útil na avaliação e controlo da Hipertensão Arterial (HTA). A
medição em ambiente de consulta, pelo médico, mostra como está a PA naquele momento,
embora esta sofra várias oscilações ao longo do dia, sendo influenciada por diversos fatores,
tal como foi visto anteriormente.

A auto-medição da PA em ambulatório, ao fornecer um maior número de medições da PA, em
condições ideais, fora do contexto de consulta, permite ter uma perceção mais fidedigna do
perfil tensional do doente.

Como escolher o aparelho para medição da PA?

Existe uma grande variedade de aparelhos no mercado, embora nem todos sejam
recomendados. É importante o aconselhamento com um profissional de saúde (médico ou
enfermeiro) na seleção do dispositivo mais apropriado.
Na escolha do aparelho para medição da PA ou tensiómetro, deve ter-se em consideração as
seguintes características:

  • Devem ser aparelhos automáticos de medição da PA no braço. Os dispositivos que
    pressupõem a medição no punho ou nos dedos, ainda que colocados junto ao coração,
    fornecem valores tensionais pouco credíveis;
  • Escolher um aparelho validado. As especificações relativas à validação deverão
    constar das informações fornecidas pelo fabricante. Para verificar a lista de aparelhos
    validados, consulte www.dableducational.org;
  • Devem ser utilizadas braçadeiras de dimensões adequadas (pequenas, standard ou
    largas) de acordo com o diâmetro do braço;

Idealmente os tensiómetros devem possuir uma memória suficiente para um número
relevante de medições.

Nas lojas AudazAjuda poderá ter um aconselhamento especializado, prestado pelos nossos
profissionais de saúde, que o poderão ajudar na escolha do melhor Medidor tensão arterial

Idosos: Os cuidados com a pele no Verão

audaz-ajuda-idosos-os-cuidados-com-a-pele-no-verãoDurante o processo de envelhecimento a pele sofre algumas alterações tornando-se mais fina, menos hidratada e com elasticidade reduzida. Os idosos têm uma maior dificuldade em manter a temperatura corporal e, por isso, têm mais hipóteses de sofrerem de hipertermia (quando o corpo fica muito quente). Por tal motivo, a pele torna-se mais sensível, necessitando de cuidados especiais, principalmente no verão.

Quais os cuidados a ter?

  • Hidratar a pele do idoso

É importante usar hidratantes apropriados para a pele mais envelhecida, principalmente após o banho do idoso, pois proporcionará mais firmeza e elasticidade à pele. Além disso, ajuda na hidratação e evita que a pele comece a descamar, um fator que pode originar feridas.

No que diz respeito à hidratação da pele dos idosos, a Audaz Ajuda pode ajudar nesse sentido, com o Creme Hidratante ATL ou com o Creme Hidratante ARTMED ECO. A hidratação deve ser feita pelo menos duas vezes ao dia, ou seja, nos horários de higienização corporal.

Este cuidado não pode ser esquecido e deve estar incluído nos cuidados básicos diários para que sejam evitados problemas futuros na pele do idoso.

É fundamental:

  • Evitar múltiplos banhos
  • Evitar o uso de sabonetes antissépticos
  • Evitar banhos muito quentes.
  • Ter uma alimentação saudável

Os prestadores de cuidados poderão ajudar os idosos a cuidar da sua alimentação ao proporcionarem refeições equilibradas e ricas em nutrientes que ajudam a manter não só a saúde da pele, mas também a saúde de um corpo completo. Uma alimentação com boas proteínas, cálcio e colágeno ajuda a repor boa parte de tudo o que é necessário para uma pele saudável.

A alimentação correta garante vitaminas e nutrientes com ações anti-inflamatórias essenciais para a pele, contribuindo para a sua hidratação.

É importante escolher alimentos que possuam mais líquidos, como legumes e frutas. Os responsáveis pelo idoso devem incentivar também a ingestão de água com maior frequência.

  • Não esquecer o protetor solar na exposição ao sol

A vitamina D é muito importante para a pele, no entanto os raios UVA e UVB são extremamente prejudiciais, principalmente quando se trata de uma pele sensível e com a constante perda natural de colágeno.

É fundamental colocar protetor solar no idoso sempre que este estiver exposto ao sol, principalmente na zona do rosto, braços e pernas. Pois, são os locais mais expostos e que recebem a maior carga de raios prejudiciais para a pele.

  • A realização de exercício físico

A realização de exercício físico no verão deve ser feita nos horários em que o calor seja menos intenso. Isto porque os idosos apresentam uma maior dificuldade em se adaptarem a ambientes com altas temperaturas.

Para além disso, o idoso deve estar sempre acompanhado de uma garrafa de água e utilizar protetor solar.

Os cuidados fundamentais a ter com a pele do idoso devem ser baseados numa rotina previamente estabelecida e com o apoio de uma equipa médica especializada.


A Audaz Ajuda foi fundada em 2010 por profissionais credenciados na área da Psicologia, Geriatria e Cuidados Continuados. A humanização dos cuidados que prestamos e a qualidade dos serviços é o nosso principal objetivo e temos por missão Valorizar a Vida. Possuidores de alvará da Segurança Social a nível de Cuidados Domiciliários Especializados.

Fale connosco:

Telefone: 210 936 938

Telemóvel: 936 142 313

E-mail: geral@audazajuda.pt

Cuidados a ter com um idoso vítima de um AVC

audaz-ajuda-Cuidados-a-ter-com-um-idoso-vítima-de-um-AVC

Neste artigo será abordado o conceito de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e, posteriormente, os cuidados e recomendações a ter para o auxílio dos idosos após sofrerem esta doença. O processo de reabilitação de um idoso depois de um AVC é provavelmente a parte mais fundamental da sua recuperação.

O que é um AVC?

O Acidente Vascular Cerebral é a principal causa de morte em Portugal. Em todo o mundo, é estimado que uma em cada seis pessoas terá um AVC. A cada segundo que passa, uma pessoa sofre esta enfermidade e a cada seis segundos esta doença é responsável pela morte de alguém.

Um AVC ocorre quando uma determinada região do cérebro deixa de receber sangue, provocando uma paralisia total ou parcial dessa área cerebral. Esta doença acontece de um momento para o outro e sem aviso prévio, no entanto os seus sintomas são praticamente imediatos. Dependendo sempre do local afetado no cérebro, o doente pode apresentar diversos tipos de mazelas, entre as quais:

  • Paralisia de um lado do corpo
  • Boca torta
  • Perda da força no braço e/ou na perna
  • Dificuldades na fala
  • Visão dupla
  • Desequilíbrio
  • Desmaio
  • Alterações comportamentais
  • Perda de memória

Existem dois tipos de AVC: Isquémico e Hemorrágico. O primeiro está associado à obstrução de uma artéria ou vaso sanguíneo por um coágulo, que provoca a ausência de oxigénio e de nutrientes no cérebro. Já o segundo acontece quando um vaso sanguíneo se rompe, devido à alta pressão que é exercida sobre ele, acabando por o sangue se espalhar pela região do cérebro em que se encontra e causar uma hemorragia.

É importante referir que, apesar do AVC Hemorrágico ser o mais letal, cerca de 85% dos AVC que acontecem são do tipo Isquémico. Ao serem deste tipo, é mais provável que exista uma recuperação da doença a 100%.

Os idosos são a faixa etária que corre mais risco de sofrer sequelas desta doença. Para além deste grupo, pessoas diabéticas, hipertensas e que consumam alimentos muito gordurosos e bebidas alcoólicas também aumentam as chances de desenvolver um AVC.

Quando um idoso sofre desta doença, é bastante comum os familiares optarem por um cuidador pessoal para o auxiliarem em todo o processo de recuperação, sendo este composto por várias fases que vão ser abordadas seguidamente.

Cuidados a ter com um idoso vítima de um AVC

A American Stroke Society, associação americana de derrames, apontou alguns cuidados que devem ser tidos em conta por parte dos cuidadores pessoais na recuperação de um AVC no caso dos idosos. Vamos destacar agora algumas dessas recomendações:

  • Os cuidadores devem estar sempre esclarecidos sobre os sintomas que o AVC causou no paciente e o que deve fazer para este conseguir recuperá-los.
  • Reduzir riscos de um novo AVC: De que forma? Através de alimentação saudável, estímulo de atividade física se possível e um uso regular da medicação aconselhada pelo médico.
  • Em caso de queda do paciente, o cuidador deve levá-lo imediatamente às urgências.
  • Medição dos progressos da recuperação do idoso a cada semana.
  • O cuidador deve estar sempre atento às mudanças de humor do idoso. É normal que o paciente sinta tristeza por estar doente e exista o risco de ser desenvolvida uma depressão.

Para além destas recomendações, numa fase inicial, os cuidadores devem ajudar os idosos nas suas tarefas diárias, como escovar os dentes, tomar banho, vestir a roupa e refeições.

Sabemos que cuidar de alguém que sofreu um AVC é uma tarefa complicada e que requer bastante tempo do dia-a-dia de uma pessoa. A Audaz Ajuda conta com uma equipa experiente que o pode auxiliar em todo o processo de recuperação desta doença, de uma forma dedicada e personalizada.


Audaz Ajuda foi fundada em 2010 por profissionais credenciados na área da Psicologia, Geriatria e Cuidados Continuados. A humanização dos cuidados que prestamos e a qualidade dos serviços é o nosso principal objetivo e temos por missão Valorizar a Vida. Possuidores de alvará da Segurança Social a nível de Cuidados Domiciliários Especializados.

Fale connosco:

Telefone: 210 936 938
Telemóvel: 936 142 313
E-mail: geral@audazajuda.pt

Benefícios do Apoio Domiciliário a Idosos

audaz ajuda beneficios do apoio domiciliario a idosos

Neste artigo vai ser abordado primeiramente o conceito de Apoio Domiciliário a idosos, sendo depois explicados, de forma detalhada, os diversos benefícios que estão associados a este tipo de cuidado para esta faixa etária.

O Apoio Domiciliário reflete a prestação de cuidados a uma pessoa que se encontra na sua própria casa, mas numa situação de falta de independência física ou mental. Devido a encontrar-se neste estado débil, o idoso não consegue satisfazer as suas necessidades mais básicas, falhando até na realização das tarefas do quotidiano.

Este tipo de cuidados são uma alternativa cada vez mais válida e utilizada nos dias de hoje, permitindo aos idosos envelhecer em segurança num ambiente confortável e familiar. Os profissionais de apoio ao domicílio proporcionam aos idosos cuidados práticos, bem como auxílio no seu espetro emocional e de rotina da vida quotidiana.

Os cuidados prestados neste tipo de apoio são individualizados, ou seja, acabam por variar de um paciente para outro. Cada pessoa tem a sua forma de ser, especificidades próprias e que devem ser compreendidas pelo cuidador, no sentido de lhe proporcionar a melhor experiência possível em todos os aspetos. Antes de passarmos aos verdadeiros benefícios do Apoio Domiciliário, deve ser salientado que este tipo de apoio está diretamente correlacionado com o aumento dos níveis de confiança do idoso, que acaba por se sentir mais confortável e capaz no ambiente da sua própria casa. Este acaba por ser um dos maiores benefícios associados ao Apoio Domiciliário a idosos.

Vamos agora apresentar alguns dos diferentes benefícios do Apoio Domiciliário a idosos:

  • Dedicação dos Profissionais

Ao contrário do que acontece em lares de idosos ou outros estabelecimentos destinados para o mesmo efeito, no Apoio Domiciliário os cuidados são personalizados e orientados apenas para o idoso em questão. Isto faz com que exista, consequentemente, uma maior dedicação e esforço por parte do cuidador na satisfação de necessidades do idoso.

 

  • Eliminação do Stress do idoso

Quando os idosos são tratados na sua própria casa, o fator do stress e da ansiedade deixam praticamente de existir. Isto vai contribuir para que os idosos possam realmente abrir-se com os seus cuidadores, construindo uma relação mais amigável e de maior confiança com os mesmos.

 

  • Supervisão do Quotidiano

Ao optar por este tipo de apoio, o cuidador poderá fazer uma vigilância no dia-a-dia do idoso e, a partir daí, detetar algumas situações que possam ser mais alarmantes como: recusa de comer, perda de peso, perda de memória ou dificuldade no raciocínio.

 

  • Sentimento de Independência

Os prestadores de cuidados poderão ajudar os idosos na manutenção do conforto e na segurança na sua vida no dia-a-dia. Este tipo de apoio vai fazer com que o sentimento de independência do idoso se prolongue por mais tempo e irá contribuir para a continuidade do seu bem-estar a médio ou longo prazo.

 

  • Acompanhamento de familiares e amigos

O Apoio Domiciliário permite as visitas dos familiares e amigos do idoso a qualquer dia e hora. Como sabemos, a pandemia COVID-19 fez com que tivessem de ser redobrados os cuidados na entrada nos lares de idosos, sendo  necessário ter vacinação completa e um teste antigénio negativo para efetuar visitas aos pacientes que se encontram nestes estabelecimentos. No Apoio Domiciliário não existe este tipo de entraves, facilitando-se a visita de familiares e amigos.

 

Audaz Ajuda foi fundada em 2010 por profissionais credenciados na área da Psicologia, Geriatria e Cuidados Continuados. A humanização dos cuidados que prestamos e a qualidade dos serviços é o nosso principal objetivo e temos por missão Valorizar a Vida. Possuidores de alvará da Segurança Social a nível de Cuidados Domiciliários Especializados.

Fale connosco:

Telefone: 210 936 938
Telemóvel: 936 142 313
E-mail: geral@audazajuda.pt

Amar de várias formas

audaz ajuda amar de varias formas

O amor é considerado um bem indispensável ao ser humano em qualquer idade, no entanto, é nos últimos anos de vida que este se pode tornar na chave para a qualidade de vida e manutenção da sanidade mental.

Muitos dos problemas físicos na vida de um idoso começam no espetro emocional. A pessoa percebe que, aos poucos, vai perdendo a independência que sempre teve e começa a possuir bastantes dificuldades para realizar tarefas simples, acabando por precisar da ajuda dos seus entes-queridos regularmente para as desempenhar.

Esta é uma situação difícil de aceitar, existindo sempre pessoas que sentem mais dificuldade que outras, ao ponto de deixar que isso afete o seu estado emocional. Neste caso, os idosos começam a sentir-se um fardo para os familiares e muitos deles acabam por se fechar numa depressão. Existe também a possibilidade de se começarem a denotar alguns transtornos mentais, como a bipolaridade, crises de ansiedade, delírios e Alzheimer. Estes são apenas alguns exemplos da infinidade de problemas que podem ser provocados por um longo período de solidão e abandono de um idoso.

Uma alternativa cada vez mais viável na vida de um idoso que sofra de alguns dos problemas mencionados são os relacionamentos. Afinal de contas, não existe idade certa para amar. Este tema é considerado um tabu na sociedade, existindo inúmeras pessoas viúvas que se boicotam de encontrar novamente o amor com medo do que os seus familiares, amigos ou pessoas mais chegadas possam pensar. O amor na terceira idade acaba por ser bastante importante para enfrentar situações do dia a dia e pode também trazer inúmeros benefícios na qualidade de vida das pessoas, entre eles:

  • Alívio do stress do dia-a-dia
  • Diminuição do risco de enfarte
  • Melhoria do sono
  • Ajuda na luta contra a depressão e sentimento de solidão
  • Aumento da saúde, bem-estar, autoestima e qualidade de vida do idoso

Por estas razões que foram apresentadas, os idosos não podem ter medo de amar e de se deixarem ser amados. Devem procurar uma pessoa que os possa completar em todos os sentidos e não ter receio nem vergonha de expor os seus sentimentos. O mais importante é que aproveitem a vida da melhor maneira possível, sempre com muito amor e carinho.

Audaz Ajuda foi fundada em 2010 por profissionais credenciados na área da Psicologia, Geriatria e Cuidados Continuados. A humanização dos cuidados que prestamos e a qualidade dos serviços é o nosso principal objetivo e temos por missão Valorizar a Vida. Possuidores de alvará da Segurança Social a nível de Cuidados Domiciliários Especializados.

Fale connosco:

Telefone: 210 936 938
Telemóvel: 936 142 313
E-mail: geral@audazajuda.pt

Higiene pessoal em Idosos

audaz ajuda higiene pessoal em idosos

A Higiene pessoal vai diminuindo à medida que a idade de um indivíduo avança. As suas dificuldades vão aumentando, principalmente no que diz respeito ao equilíbrio, na entrada e saída do banho e até para permanecerem de pé junto ao chuveiro. A Higiene torna-se um ótimo benefício na prevenção de doenças e infeções de bactérias ou vírus, por ajudar a manter o corpo do idoso sempre limpo e asseado.

É importante referir também que, independentemente do estado de saúde e idade da pessoa, o indivíduo deve sempre receber cuidados de Higiene pessoal. Este processo tem sempre um papel fundamental na vida dos idosos e torna-se indispensável que o façam o mais frequentemente possível.

A Higiene corporal é outro fator determinante na saúde de um idoso. Após o banho diário, devem ser secadas cuidadosamente todas as regiões do corpo, assim como deve ser utilizado também um creme hidratante para humidificar ao máximo a sua pele. Este tipo de Higiene é altamente recomendada para idosos que apresentem incontinência urinária. No caso de terem este tipo de doenças, é aconselhável a utilização de toalhas humedecidas que facilitem a sua Higiene e ofereçam ao idoso um maior conforto.

Passamos praticamente a nossa vida inteira a cuidar da nossa própria Higiene pessoal. É natural que, quando atingimos a terceira idade, se comecem a perder capacidades do nosso corpo e que, como consequência, deixemos de poder fazer a nossa própria Higiene pessoal, tendo este processo que ser feito por um cuidador. Por estas razões, os idosos sentem-se muitas vezes com pouca autoestima e envergonhados, acabando por se descuidar e resistir a este processo. Torna-se indispensável neste momento a empatia e maior atenção por parte do cuidador, para fazer com que os níveis de autoestima do idoso possam subir e também para que aceite que tratem da sua Higiene pessoal.

A Audaz Ajuda pode ajudá-lo neste processo por vezes tão complicado. No que diz respeito à hidratação da pele dos idosos, a Audaz Ajuda pode ajudá-lo neste sentido, com o Creme Hidratante ATL . Este produto tem uma excelente textura, é fácil de espalhar pelo corpo e tem uma rápida absorção que permite vestir-se logo após a sua aplicação. Já para a incontinência urinária, experimente a Fralda de Adulto INDASLIP, que conta com um revestimento exterior com um toque têxtil, transpirável e de máximo conforto para o idoso, com o objetivo de mitigar da melhor forma possível esta doença.

A Audaz Ajuda foi fundada em 2010 por profissionais credenciados na área da Psicologia, Geriatria e Cuidados Continuados. A humanização dos cuidados que prestamos e a qualidade dos serviços é o nosso principal objetivo e temos por missão Valorizar a Vida. Possuidores de alvará da Segurança Social a nível de Cuidados Domiciliários Especializados.

Fale connosco:

Telefone: 210 936 938
Telemóvel: 936 142 313
E-mail: geral@audazajuda.pt